Equipes Altamente Eficazes

Como Criar Equipes Altamente Eficazes

O que faz uma empresa se sobressair sobre as outras? Em grande parte sua adaptabilidade frente à novos desafios e novas realidades. E o que move uma empresa? As pessoas que trabalham nela. Por isso é necessário buscar e engajar sempre os melhores profissionais e manter equipes altamente eficazes.

Equipes Altamente Eficazes
Fonte: www.shutterstock.com

Por que precisamos de EQUIPES para desenvolver software?

Sempre fiz a comparação com uma orquestra. Individualmente todos tocam um único instrumento, porém o resultado da combinação de várias habilidades é incrível. Presenciar uma orquestra tocando é uma experiência, pessoalmente, muito mais prazerosa que os mesmos componentes em performances individuais.

Queremos evitar nas equipes

Quando desenvolvemos uma equipe queremos evitar alguns fatores que desagregam e podem causar desentendimentos e disputas, tais como:

  • Síndrome do Astro de Rock: dizem que muitos astros de rock têm suas exigências extravagantes. Se isolam de todos e se acham superiores. Fato é que mesmo que sua experiência seja vasta, um desenvolvedor de software dificilmente irá construir um software completo sozinho. No mundo corporativo softwares são bastante extensos e é impossível construí-los sozinho. Numa equipe de desenvolvimento as habilidades devem ser complementares e o entendimento mútuo uma constante.
  • Lei de Brooke: diz que se adicionarmos recursos a um projeto atrasado só o fará ficar mais atrasado. Para que um novo integrante se torne tão eficiente quanto os outros já participantes da equipe é necessário um período de adaptação até que este se torne um membro efetivo desta equipe.
  • Uniformidade: a diversidade de uma equipe traz desafios mas o resultado de suas interações são bastante ricas, com argumentações melhores, com diversas perspectivas e isto acaba resultando em inovação.
  • Autoritarismo: as decisões não podem ser baseadas no que está escrito no cargo dos cartões de visitas. O termo HiPPO (Highest Paid Person Opinion) se refere à tendência de que geralmente a opinião da pessoa mais bem paga é levada em consideração. Entretanto, empresas de sucesso como Amazon cultivaram uma cultura de experimentação onde os líderes são encorajados a testarem ideias e então deixam os dados – não a opinião da liderança – guiarem a implementação.
  • Alta Rotatividade: nenhuma empresa se torna bem sucedida deixando seus talentos irem embora. Tão importante quanto atrair estes talentos é necessário engajá-los. É necessário criar um ambiente saudável que permita o contínuo crescimento destes talentos e fazer com que se sintam valorizados.

Etapas de desenvolvimento de equipes

O Modelo Tuckman elaborado na década de 60 diz que a formação de uma equipe possui 5 estágios:

  • Formação: metas ainda se estabelecendo. Os indivíduos seguem suas próprias normas pré-estabelecidas naturalmente. A função da liderança neste momento é identificar objetivos e trocar experiências para criar um modelo mental compartilhado para a equipe.
  • Confrontação: nesta fase ocorre a definição de responsabilidades de cada membro mas pouco resultado é atingido com conflitos até que os papéis estejam bem estabelecidos. A responsabilidade da liderança é atuar nos conflitos e desenvolver confiança mútua.
  • Normatização: é o momento em que a equipe começa a se conhecer e formar sua própria identidade. Há mais respeito e confiança mútuos. A liderança deve ser atuante para coletar feedback, planejar e engajar a equipe.
  • Atuação: esta é a etapa caracterizada pela alta performance e melhoria contínua. Os membros da equipe já se conhecem, são capazes de estabelecer rapidamente o modelo mental compartilhado, gerando compreensão e cooperação.
  • Dissolução: é o fim do processo de formação da equipe, possivelmente por fim de um projeto ou seu cancelamento.

As equipes podem ir de um estágio mais avançado como normatização ou atuação de volta para a confrontação. Basta que um evento ocorra, um membro saia da equipe ou que um novo membro chegue. O ciclo pode se repetir várias vezes até a dissolução da equipe.

Etapas de desenvolvimento de equipes
Fonte: www.commons.wikimedia.org

Fatores existentes em equipes de excelência

O resultado apresentado é baseado em um estudo com 200 equipes da Google:

  • Segurança Psicológica: é a pedra fundamental para as equipes de sucesso. Inclusive merecendo um estudo à parte sobre o tema. Alguns fatores podem levar à segurança psicológica da equipe: liderança que demonstra engajamento, se inclui em ajustes interpessoais, inclui a equipe também no processo de decisão. Uma pergunta que pode definir se uma equipe possui segurança psicológica é “posso me arriscar nesta equipe sem me sentir inseguro ou envergonhado?”.
  • Confiabilidade: os membros da equipe se respeitam, cumprem prazos e atingem níveis de excelência. A pergunta que define esta característica é “podemos contar um com o outro para executar trabalho de alta qualidade no prazo?”.
  • Estrutura e Clareza: membros de equipe têm papéis bem definidos, planos e objetivos. A pergunta para este fator é “Os objetivos, papéis e planos de execução da nossa equipe estão claras?”.
  • Significado: o trabalho é pessoalmente importante para os membros da equipe, gera engajamento e comprometimento. A pergunta para esta característica é “estamos trabalhando em algo que é pessoalmente importante para cada um de nós?”.
  • Impacto: membros de equipe acreditam que seu trabalho importa e cria mudanças. A pergunta para isto é “nós fundamentalmente acreditamos que o trabalho que executamos importa?”.

Como criar equipes altamente eficazes?

Não existe uma fórmula mágica e cada grupo de pessoas interage e reage de forma diferente. Entretanto existem alguns fatores que percebo e leio de diversas fontes que contribuem fundamentalmente para atingir este resultado, como:

  • Transparência: um dos valores da Sciensa. A transparência é indispensável na construção de relações. Ela precisa ser aplicada em todos os sentidos, em todos os níveis. As relações desmoronam caso ela não exista e isto dificulta a construção de equipes de sucesso.
  • Comprometimento: é preciso existir o comprometimento de todos os participantes da equipe com o objetivo final, seja ela uma Sprint, seja um produto. É psicologicamente desafiador trabalhar com pessoas que não são comprometidas pois ninguém quer “levar o outro nas costas”.
  • Empatia: para que possamos ter uma compreensão melhor do que pensam os outros participantes da equipe tenho percebido que cada vez mais a empatia é importante. Antes de argumentar, coloque-se no lugar da pessoa, veja pelo ponto de vista dela, para que as soluções valorizem ambos os lados. Isto leva até a um efeito secundário em que a pessoa percebe o próprio impacto de seu trabalho.
  • Evitar microgerenciamento: pois diariamente numa equipe Scrum apresentamos o que foi realizado no dia anterior e nos comprometemos com o que faremos. Além disto, ferramentas de controle de tarefas, ou um quadro Kanban, podem substituir esta ansiedade de saber o que estão fazendo. Por outro lado também, não é recomendado impor a forma como a tarefa será feita, pois isto diminuiria a sensação de autonomia.
  • Empoderar as equipes: acredito este ser um fator imprescindível pois é o empoderamento que gera o engajamento, prova que as pessoas confiam uma nas outras, e aumenta a sensação de propósito e significado de cada indivíduo. O papel do líder é definir o rumo (o quê) mas deixar que a equipe decida a forma que será feito (o como).
Como criar equipes altamente eficazes?
Fonte: www.shutterstock.com

Conclusão

A construção de equipes não é uma ciência exata, mas foram apresentados alguns pontos a serem considerados a fim de conquistar o melhor resultado dos integrantes. Também é um assunto que penso ser temporal, isto é, os itens apresentados estão de acordo com a cultura da época e pode não fazer sentido em outro contexto. Citando um dos princípios ágeis:

Construa projetos em torno de indivíduos motivados. Dê a eles o ambiente e o suporte necessário e confie neles para fazer o trabalho.

Acredito que as tecnologias estão possibilitando transformações profundas no nosso modelo de trabalho, só não foram totalmente aceitas ou exploradas ainda. O alicerce de tudo é valorizar o lado humano.

 
Daniel Mirilli

Daniel Mirilli

3 comments

Deixe uma resposta

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.

%d blogueiros gostam disto: